Ajude-se!

“Ajude-me!” ou “Me ajuda!” como milhares de pessoas preferem pedir  centenas de vezes ao longo da vida, com a certeza de que nada podem fazer por si. No entanto ninguém pode ajudá-las melhor do que elas mesmas. Aprendi essa grande lição ao longo do caminho por experiência própria e nunca esqueci.

Não há dúvida de que precisamos de ajuda em vários sentidos, como quando ficamos doentes e precisamos de uma ajuda médica, ou algum conselho para tomar uma decisão difícil. Porém, cabe a nós a responsabilidade da decisão e ação de ir ao médico e dar continuidade ao tratamento de cura e/ou pedir um conselho e seguir em frente.

O primeiro passo para a solução de um problema vem de dentro de nós, seja vindo da mente, do coração ou do nosso instinto espiritual. Sem nossa vontade de que as coisas mudem para melhor não haveria mudança para melhor. Como quando aconselhamos alguém deprimido que se alegre e essa pessoa se recusa a mudar de maneira de pensar nada mudará.

Já é sabido que ninguém muda ninguém. Nós é que temos o poder de mudar usando nossa determinação para vencer esse tipo de desafio (emocional), que, diga-se de passagem, às vezes é muito mais difícil de lidar do que o desafio físico.

Para que possamos assumir a responsabilidade de nossos atos, deveríamos nos dar mais crédito àquilo que decidimos fazer como escrevendo uma nota de pedido de ajuda da seguinte forma:

“Dando continuidade a minha decisão de “procurar ajuda” para conseguir “XXX” passo a escrever…. ou venho a esta consulta por livre e espontânea vontade agir em prol do que quero, etc..”.

Desta forma, estamos assumindo nossa liderança em relação a mudanças benéficas em nossas vidas.

Essa é a primeira coisa que digo a meus clientes quando temos nossa primeira consulta ou respondo a seus chamados de ajuda. Sempre os reconheço para que tenham consciência de que se não fossem por eles eu jamais poderia ajudá-los e cabe a elas/eles a decisão de procurar ajuda e encontrá-la autorizando o processo de troca de idéias e ações benéficas que irão trazer resultados positivos para melhorar suas vidas.

Infelizmente, em muitas notas que recebo, posso ler o desespero e a falta de reconhecimento por si pela maneira com que o contato foi feito. Incluindo a crença de que não poderá ter dinheiro envolvido para pagar por um tratamento emocional profundo. Muitas pessoas (principalmente no Brasil) pedem ajuda assumindo que a ajuda pedida tem de ser gratuita. Isso porque sua religião ou alguém os convenceu de que a ajuda tem de ser de graça por que é caridade.  Eu prefiro ensinar a pescar do que dar um peixe a alguém pela simples razão de que ao aprender a pescar irá poder matar sua fome para sempre.

Espero que tenha sido clara o suficiente para você que me lê em relação a sua capacidade de ser criativo, prestativo e confiante em sua capacidade de sobreviver e manifestar uma vida melhor, relax e abundante.

Sua na capacidade de viver extraordinariamente.